olá,

uma palavra pode desencadear um conflito diplomático, pode terminar um casamento…

uma palavra pode passar pelos nossos ouvidos como uma brisa leve, sem nenhum efeito, pois ela precisa ser CRÍVEL.

é preciso acreditar na palavra dita, ela não tem força por si só.

a certa altura, vale muito mais olhar o ser humano que emite a fala, do que propriamente ouvir a palavra.

a força da língua está em sua possibilidade de conjugação de idéias e transmissão parcial e direcionada.

a fraqueza da língua está na sua incredulidade, na sua falta de embasamento fático, na traição de suas conjecturas contraditórias.

é melhor, portanto, permanecer em silêncio?

não, definitivamente.

melhor mesmo é treinar a técnica da fala, trabalhar mentalmente a palavra MUITO antes de ser dita.

Entre escolher a omissão ao invés do risco da incredulidade: fico com o segundo.

Por acaso é conveniente perder a chance de alterar o seu entorno calando-se? Por acaso é divertido ver as coisas ocorrerem por si só, sem a nossa interferência verbal?

Embora a muito tempo se diga que é melhor ouvir do que falar, estão todos utilizando da fala para que ouçamos isto.

Aquele que se diz muito observador e ouvinte, uma hora utilizará a própria fala e o arsenal de fatos observados… ele somente postergou o momento de utilização da palavra.

É melhor mesmo ouvir do que falar: pelo menos erraremos menos quando falarmos.

Não me venha dizer, no entanto, que é melhor sempre manter-se calado e ouvindo…….. … ….

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s