olá,

 

este blog existe para que eu possa colocar em algum lugar as angústias da vida.

 

ou para colocar as angústias dos outros…

 

hoje estive pensando sobre todos os processos trabalhistas contra fazendas que já participei…

 

neles há algo de comum: a prepotência do poder econômico.

 

ganhar ou perder uma ação na justiça é algo normal para a maioria das pessoas…

 

não para um fazendeiro e seus capatazes e administradores.

 

para eles vale tudo para vencer uma demanda.

 

se esta demanda for trabalhista piorou!

 

onde já se viu um mero funcionário que ganhava menos que mil reais na fazenda querer agora tirar algum dinheiro do fazendeiro?

 

não importa se este funcionário trabalhou para além da jornada legal sem ser remunerado…

 

não importa se ele levantou 3 da manhã pra tirar leite.

 

tanto faz se, por culpa da empresa, ele se estourou todo fisicamente…

 

tudo começa com a contratação de um advogado para enrolar… até brasília se for preciso.

 

depois registram um boletim de ocorrência para que o empregado responda criminalmente e desista logo desse processo…

 

depois disso não cedem em nenhum direito, por mais explícito que seja, para que morra de fome o desgraçado!

 

nada de proposta de acordo na primeira audiência, deixa o processo correr mais uns 4 meses.

 

dentro de 4 meses certeza que vai ser despejado…

 

depois disso procure-o para tentar um acordo por fora, de preferência pagando no máximo 2 mil reais.

 

esta é a receita do bolo…

 

se mesmo assim for topetudo e não aceitar, então nunca mais ligue para tentar dar fim no processo e compre algumas testemunhas.

 

pressione os trabalhadores da fazenda para que, ao depor, não falem mal do patrão, senão rua!

 

essa é parte dois da receita de bolo…

 

quando tiver tudo se encaminhando para a audiência, junte um atestado do representante da fazenda dizendo que não pode se locomover e peça a remarcação da audiência pra daqui uns 3 meses.

 

aí sim ele morre de forme, até porque o inss cortou o benefício…

 

ele não vai guentar um processo trabalhista, um previdenciário e se defender do processo criminal…

 

a receita do bolo está completa quando, por não aguentar, o cara não aparece na audiência.

 

extinção do processo sem resolver o mérito… fim da linha…

 

se o advogado do empregado conseguir chegar na sentença, 1 ano depois de proposta a ação, com certeza não vai aguentar os recursos para campo grande e, depois, para brasília…

 

no final das contas proporemos um parcelamento na execução…

 

durante todo o trâmite do processo, É CLARO, que contaremos para TODOS os fazendeiros que aquele empregado é um filho da puta…

 

nunca mais conseguirá emprego rural, que vá pra cidade fazer bico na construção civil!

 

fim de papo, fechem as curtinas…

 

 

Anúncios

2 comentários sobre “processos trabalhistas contra grande fazendeiro

  1. É um roteiro doloroso num país em que os julgadores fazem do processo um fim e não um meio de aplicar o direito. Um país em que os juízes ganham por dia o que o empregado leva um mês para auferir pode ser considerado justo?

    1. olá paulo,

      obrigado por mais uma vez passar por aqui.

      acredito que os magistrados, até por terem salários altos, não conseguem sentir toda a angústia do processo.

      muitas vezes são rígidos demais quanto à prova.

      outras vezes se contentam só com a aparência das coisas, até por terem processos demais pra julgar.

      e com isso a justiça humana se distancia do ideal de justiça que todos nós esperamos…

      abraço amigo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s